Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Duas Bloggers, Duas Histórias, Uma Doença : A Anorexia.

Duas bloggers, irmãs na doença, juntaram-se num só blog para contarem as suas vitórias. O nosso objectivo será sempre ajudar (se possível) quem esteja a passar por esta doença... a anorexia!

Esta história não é nossa, mas é de uma das nossas...

Esta história não é nossa. Não fomos nós que passamos por isto. Mas, foi uma das nossas! Uma das que superou... Deixamo-vos com a história da Vanessa:

 

"A minha história foi muito oscilante porque sempre fui gordifas e um bom garfo, todavia, não me encaixava nos cânones da vila onde vivia: todas eram morenas, adelgaçadas e de olhos verdes. Eu era o oposto. Sempre quis ser igual as meninas de lá porque apaixonei-me por um tipo muito bonito e a beleza era tudo para ele, todavia, sempre fui gordifas (até me refugiei mais na comida) ! Depois estive noiva sete anos; família pacata, sem julgamentos, namorado que me amava... Sou nortenha; por norma come-se muito por lá ! Sempre fui um garfo exageradamente saudável ! Comia Francesinhas a pacotes ! Comecei a emagrecer quando a relação acabou: perdi o apetite e queria ir conquistar o outro que só queria saber de beleza e para isso era preciso eu ser magra e, óbvio, perdi o apetite.

Não, eu estava sozinha no mundo !

Numa discussão sai de casa e passei a viver em quartos alugados e a trabalhar como empregada de mesa, consequentemente, trabalhava que nem uma moura e vivia sem comer e sem ter fome, todavia, nunca quis ser acompanhada por um médico mas ainda me derigi a psiquiatria as urgências algumas vezes e ai encontrei uma miúda que também sofria de anorexia, boa aluna, filha de professores, muito bonita.... Amas adoecemos com infeções nos pulmões na mesma atura (em inícios de 2009) por não termos quaisquer defesas no corpo ... Eu estava uma lástima. Não conseguia respirar e o meu patrão até colou na cabeça que poderia ter tuberculose: só tossia, respirava com dificuldades e conseguias ouvir-me a respirar a kms de distância tal era a chiadeira... Tive o inicio de uma pneumonia e não tinha defesas para combate-la mas miruculosamente combati-a.

A miúda de 15 anos não resistiu: faleceu, perante uns pais agonizados e incrédulos que viram a sua filha morrer !

A mãe que é professora de psicologia redigiu um livro acerca da doença da filha e de como foi encarar a morte dela.

Também me ajudou na minha luta pessoal. Vê-la morrer fez-me engordar em seis meses para 62 kilos" #HOTDEVIL

1 comentário

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.