Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Duas Bloggers, Duas Histórias, Uma Doença : A Anorexia.

Duas bloggers, irmãs na doença, juntaram-se num só blog para contarem as suas vitórias. O nosso objectivo será sempre ajudar (se possível) quem esteja a passar por esta doença... a anorexia!

O início - Vânia

Ao contrário da Catarina, não tive propriamente um ''início'' desta doença. Desde sempre que me recordo de não gostar de comer e de deitar a comida fora -mesmo que fosse só um iogurte! Nunca tinha fome e quando era obrigada a comer inventava mil e um truques para não o fazer ou deitar a comida fora. (Acho que posso dizer que começou desde pequena e que acentuou em adolescente.)

Na minha adolescência tive um desenvolvimento tardio e era daquelas miúdas cujas ''pelosidades'' eram mais escuras e a minha mãe achava que eu era demasiado nova para começar a fazer depilação. Comecei a ser vítima de gozo por parte de alguns colegas de escola (eu sei que eram brincadeiras mas estava demasiado sensível para ver isso). Era também muito magra e não tinha ainda peito, ao contrário das minhas amigas que já eram todas desenvolvidas. Confesso que comecei a odiar o meu corpo, a ter nojo de mim mesma, a achar que era um monstro - sim, seria essa a palavra certa na altura!

Ao contrário da Catarina, nunca fui das meninas populares. Fui sim das que eram gozadas por não ser como as outras, embora tivesse muitos amigos e fosse bastante sociavel. Hoje sei que eram somente aqueles comentários que dizem por brincadeiras- eram rapazes! Basicamente eram comentários em brincadeira a dizer que saia ao meu pai, que se tinham enganado e que eu não era rapariga. Sorria quando diziam isso mas depois ia chorar para a casa de banho da escola, sozinha. Nunca desabafei com nenhuma amiga pois tinha vergonha... e tinha medo de ser ainda mais gozada!

Uns anos mais tarde, o meu peito, rabo e coxas desenvolveram imenso. Isso fez-me ganhar uns quilos valentes. Comecei a odiar ainda mais o meu corpo, ganhei estrias e apanhava rapazes a olhar para o meu rabo, principalmente. Na minha cabeça, eles achavam-me horrível e iriam gozar comigo. Já tinha sido gozada antes, porque seria agora diferente?

Além disso, as minhas amigas usavam o 36 e 38 e eu lá andava nas minhas calças 40 e 42... Eu, a gorda!

Seguiu-se assim a minha ''dieta'' - comer meia maçã por dia. Somente e apenas a minha meia maçã...

4 comentários

  • Imagem de perfil

    LadyVih 29.07.2016 18:06

    Oh Sandrine... obrigada! Mais uma vez, sê bem-vinda. Image
    Aparece sempre que quiseres. E se quiseres perguntar algo, esclarecer alguma dúvida, estás á vontade!
  • Sem imagem de perfil

    Sandrine 29.07.2016 18:25

    Obrigada...sinto que também estive perto de sucumbir a essa doença! Era gordinha em miúda (e a minha irmã era a Top Model, chegou a participar no Elite Model Look Portugal), passei por uma fase de não me sentir bem com o meu próprio corpo! Também me via gorda quando me olhava ao espelho e admito ter puxado o vómito uma ou outra vez, porque não queria engordar...não sei bem explicar como mas não sucumbi a isso! Quando fui para o secundário aceitava-me como era, o meu corpo tinha emagrecido com a mudança de idade e eu praticava desporto que gostava porque gostava e me sentia bem!
    Entretanto em 2000 diagnosticaram-me uma doença crónica que me custou muito a aceitar, a artrite reumatóide, tinha 24 anos...passei pela fase de negação e recusei tomar a medicação, inclusivamente cortisona, porque acima de tudo ela poderia fazer-me inchar e eu não queria sentir-me pior ainda, gorda e com uma doença autoimune até ao fim da minha vida! Ser mãe foi uma vitória após 5 anos de luta com a minha doença, e posso dizer que os meus receios foram infundados...a dose diária que tomo de cortisona não são suficientes para me deixar inchada :)! Tento levar a vida diariamente, o dia a dia, o hoje...porque não sei o dia de amanhã, não sei se tenho uma crise da doença e fico de cama...isto dava pano para mangas!! Mas resumindo, apesar dos 5kg que tenho a mais, 13 anos depois de casar (estava muito magra na altura), e de achar que podia sempre perder uns 2/3kg vou-me sentindo bem com o que vejo ao espelho!
    Tenho é muito receio que as minhas filhas passem por isso...especialmente porque uma delas, é bastante alta mas adora doces, e na consulta dos 6 anos a Pedi disse estar no limite da obesidade...eu não acho que esteja ela está a crescer mas adora doces e amaaa chocolate! Vamos controlando o que come mas não posso estar sempre a dizer-lhe para não comer isto ou aquilo, ela é uma miúda e não quero de maneira nenhuma criar-lhe mau estar psicológico...já na escola os meninos são muito maus, ela já se queixou que por vezes, a melhor amiga quando se chateiam, lhe diz que ela é gorda :(...mãe sofre e só quer o melhor para os nossos filhos! Espero dar-lhe bases para que ela enfrente esses comentários sem se deixar ir abaixo e estarei sempre aqui para a motivar e dar-lhe autoestima!
  • Imagem de perfil

    LadyVih 29.07.2016 19:39

    Parabéns por não ter caído, Sandrine. Foi muito forte.
    Além disso, a revolta de ter uma doença dessas poderia ter feito grandes estragos. 
    Creio que será um bom exemplo para as suas filhas... vai ver que não vai acontecer nada de mau. Beijinho enorme
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.